Entenda a diferença entre E-commerce e Marketplace:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
diferença entre ecommerce e marketplace

 

É perceptível que nos últimos anos muitos lojistas têm procurado novos veículos de comércio mais modernos. E buscando isso, se deparam com dois modelos de negócio online: E-commerce e Marketplace. Mas você sabe a diferença entre eles? E qual é o mais adequado para seu comércio?

 

Essas plataformas têm características bem diferentes, então precisa de muita análise para decidir qual você irá firmar seu negócio. Essa escolha influencia na sua comunicação com o público, marketing, gestão, lucro, dentre outros. 

 

Como pode ver, a escolha do modelo de negócio é extremamente importante para seu comércio estar no meio digital. Por isso, vamos nesse post abordar um pouco sobre cada um e te ajudar a identificar qual se encaixa melhor nas estratégias e expectativas da sua empresa. 

 

Boa leitura!

O que é e-commerce?

E-commerce é o mesmo que comércio eletrônico. Nesse modelo de negócio, as vendas são feitas por meio de uma loja virtual, na qual expõe seus produtos.

Essas vendas são feitas em computadores, dispositivos móveis, aplicativos e no próprio site da empresa. Mas em síntese, funciona como uma loja tradicional, só que  inteiramente para o ambiente digital, com os mesmos cuidados em relação a:

  •  Comunicação com o cliente;
  • Apresentação dos produtos’;
  • Formas de pagamento;
  • Divulgação da loja;
  • Fornecedores de mercadoria etc.

 

O lojista tem total liberdade para construir sua loja virtual como quiser, buscando se destacar dentre os demais de sua categoria. E essa é uma das vantagens do ambiente virtual: ter a liberdade de personalizar e construir a marca da loja com muito mais modernidade e criatividade. 

 

O que é marketplace? 

O marketplace se difere do e-commerce principalmente por se tratar de uma plataforma onde existem várias lojas virtuais.

Nesse sentido, sua estrutura é semelhante a um shopping, na qual diversos lojistas estão juntos em um mesmo espaço, tendo sua “vitrine”,  e na que mais chama atenção do consumidor, será a que ele vai entrar e comprar.

 Mas essa plataforma não pertence a nenhum dos lojistas e nem há exclusividade, possuindo apenas a autorização de uma seção para colocar sua loja. 

No entanto, não há preocupação pro lojista sobre a estrutura, ele apenas usufrui dela. Não tem responsabilidade de fazer manutenção, recursos digitais, ou até divulgações, porque tudo isso vem junto com a própria plataforma. 

 

Diferença entre Marketplace e E-commerce

 

Para entender melhor essas particularidades, vamos pensar sobre algumas diferenças desses dois modelos: 

 

Relação com o público

No marketplace a interação com o público é totalmente mediada pela plataforma. Sem falar que os clientes estão mais direcionados a valores de produtos (comparar preços) e não com a autoridade e diferenciais da loja. O relacionamento com o público pode existir, mas é um pouco mais trabalhoso para conseguir esse resultado.

 Por exemplo, é necessário encontrar uma outra maneira de empoderar a marca além do Marketplace para o público ser mais objetivo e seletivo ao procurar a loja.

Portanto, o e-commerce acaba tendo mais vantagens nesse quesito, porque há possibilidades de linkar blogs, redes sociais e outras formas de interação. Podendo oferecer também chats interativos, mais informações de contato, tem a liberdade de criar sua marca e apresentar seus produtos com mais informações. E com isso, a loja virtual cria mais interação com o público, com suas próprias formas de aumentar o interesse dos clientes. 

 

Concorrência:

Sobre a concorrência é preciso levar em consideração a visibilidade da loja. Por exemplo, no Marketplace, como o mesmo comprador tem acesso a outras lojas, que podem estar nas mesmas categorias que a sua, provavelmente ele vai comparar mais preços e qualidade dos produtos.

E no E-commerce, é possível produzir um ambiente profissional para sua empresa, com muita exclusividade. Assim o cliente vai poder além de consumir produtos, se identificar com a própria marca, consolidando uma imagem firme e atrativa. Todos esses atributos ganham a confiança do cliente, porém, não são motivos para aumentar a precificação, porque o consumidor continua prezando muito pelo custo benefício dos produtos. 

 

Marketing: 

No marketplace, as campanhas de marketing digital visam divulgar a plataforma, e não especificamente as empresas presentes dentro do Marketplace. Mas caso seu produto esteja com uma divulgação eficiente, com bons textos, boas fotos e bons preços, o próprio marketing da plataforma pode fazer seu produto ser visto por muitas pessoas que acessem o marketplace, no entanto sem limitar que o cliente vai ver apenas a sua propaganda.

Já no e-commerce é possível fazer várias estratégias direcionadas, usando técnicas de SEO, gestão de tráfego, marketing digital, dentre outros. E com trabalhos de marketing bem sucedidos, a imagem da sua empresa vai ser exposta aos compradores com exclusividade e relevância.

 

Gestão de operação de venda:

As vendas pelo marketplace são responsabilidade total do responsável pelo espaço virtual. Por isso, não é necessário o lojista desenvolver um site ou desenvolver uma plataforma, tudo já está incluso no espaço do marketplace, é necessário apenas aceitar as condições e termos de serviço. Além de que, as formas de pagamento são geralmente diversificadas, sendo bastante acessível ao público.

Já no e-commerce, toda a logística de venda é responsabilidade do lojista. Ele precisa de plataformas ou aplicativos e principalmente uma boa gestão de estoque, pagamento, frete, dentre outros. Então, a empresa precisa escolher sistemas e plataformas seguras e dominá-las para ter o controle total de vendas e lucro.  

 

Expansão:

Para um negócio expandir, é necessário muito investimento em infraestrutura. E no caso de um e-commerce, há grandes objetivos futuros de expansão se isso também fizer parte do planejamento inicial da loja. Ou seja, se for feito o investimento correto e a plataforma contratada e produtos escolhidos estiverem em foco com o crescimento da loja e aumento de clientes, o sucesso é garantido. Além de que, pode ser implementado estratégias de venda, marketing digital e diferenciais que dão relevância a marca. 

Mas para quem quer comercializar seus produtos ou serviços em um marketplace, não existe restrição de fluxo de pessoas, porque o próprio espaço já é adaptado a isso, diminuindo alguns gastos extras. No entanto, é mais difícil no marketplace construir uma marca relevante para crescimento, pelas próprias limitações e particularidades do marketplace, então isso pode prejudicar a marca em chegar em outros públicos. 

 

Como escolher entre os dois?

A verdade é que você não precisa se preocupar em escolher apenas um. Os dois trabalham juntos e em um sistema interligado. 

Se você quer ter um e-commerce próprio, apenas da sua loja e seus produtos, pode construir da maneira que achar melhor. Após estar pronto, basta integrar a sua loja virtual com os  marketplace que preferir.

O ponto de atenção para esse processo, é a plataforma que você compra para fazer o seu site. Busque entender se ela possui a funcionalidade de integrar com outros marketplaces ou não. Indicamos a VTEX, a plataforma mais segura e sofisticada para negócios grandes e que buscam o meio digital como um dos principais canais para faturamento. E a Tray para quem busca começar uma loja e testar o meio digital de venda.

 

Para finalizar

Gostou do conteúdo? Acredito que conseguimos esclarecer a sua dúvida sobre a diferença de e-commerce e marketplace. Assim, a sua escolha será feita de maneira mais assertiva para o modelo que mais se enquadre no seu negócio!

 

Se você quer conhecer mais sobre negócio virtual,  continue navegando no nosso blog clicando aqui!

 

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Aproveite e veja também

Buscando uma agência
para implantação
de e-commerce?